quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Os Leões de Bagdá


Esta Graphic Novel de 140 páginas, publicada no Brasil em 2008, com roteiro de Brian K. Vaughan e arte de Niko Henrichon traz uma cativante fábula moderna.

Um grupo de Leões que vivia no zoológico em Bagdá escapam durante os bombardeios norte-americanos na capital do Iraque. Inesperadamente eles tem diante de si a tão desejada liberdade.

Trata-se de uma metáfora nada sutil, Brian k. Vaughan traz na história desses leões as dúvidas e os desafios do próprio povo iraquiano. Sem apelar para o antropomorfismo, Niko Henrichon, consegue mostrar nesses seres expressões de tristeza, alegria, angústia e desespero. Outra artimanha muito bem utilizada pelo autor são os tons quentes nos desenhos, tais como alaranjado e avermelhado na arte, o autor consegue transmitir o clima quente e árido da cidade.


As características próprias de cada personagem são marcantes e os autores dão a cada leão adulto um tipo de comportamento tipicamente humano. O macho, Zill, é simplista e indeciso; a fêmea mais nova, Noor, é segura e decidida; a anciã, Safa, que carrega inúmeras cicatrizes é cautelosa e sábia; há ainda o pequeno e ansioso Ali, o filhote filho de Noor.

Soltos nas caóticas ruas de Bagdá, os Leões terão de lutar por sobrevivência, descobrindo nesse meio tempo os prós e os contras da liberdade adquirida.

Uma narrativa fluída com uma trama densa. Pra ler e reler!

Um comentário:

  1. interessante que o titulo me lembrou o Caçador de Pipas... numa cena em que as duas crianças se auto-intitula os 'sultões de Bagdá' (se eu não estiver errado)
    mas esse grafic deve ser interessante...

    ResponderExcluir

 
visitantes