sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

O Labirinto do Fauno



Guilherme Del Toro cria em "O Labirinto do Fauno" uma fábula sombria que consegue tomar elementos tão heterogêneos quanto a guerra civil espanhola e seres míticos como o fauno e as fadas, e uní-los numa mistura encantadora.

O filme começa com uma pequena narração sobre uma princesa de um reino subterrâneo, que saiu para conhecer a superfície, mas se esqueceu de todo seu passado, se tornou mortal e com o tempo terminou por falecer.
Então nos é apresentada Ofélia, uma menina que adora livros e acredita em seus contos de fadas. Sua mãe Carmen se encontra grávida de seu padastro Vidal, um cruel capitão do exército facista espanhol. As duas estão num carro, viajando para uma casa em meio à floresta, onde o capitão está estabelecido numa caça a rebeldes que estão escondidos pelo meio daquelas colinas.
Nos redores de sua nova casa, Ofélia se depara com um labirinto, atraída por um ser que ela acredita ser uma fada. Nesse labirindo ela adentra uma trilha subterrânea, onde ela conhece o Fauno (um ser metade humano, metada bode) que lhe conta que ela é a princesa desaparecida de um reino subterrâneo e que ela precisa completar três tarefas para retornar para seu reino.
Ao mesmo tempo que se desenrola essa história de fantasia, Ofélia se vê em meio a um sangrento conflito, engendrado por Vidal no combate aos rebeldes.

Sendo em alguns lugares classificado como infantil, eu não o recomendo para crianças por conter algumas cenas fortes de violência, mas mesmo assim encantará jovens e adultos fâs de literatura fantástica.

Todo o filme transcorre na língua espanhola (mesmo com o trailer sendo narrado em inglês), o que é um brilho a mais na obra, que foge um pouco da americanização da linguagem cinematográfica. Assista o trailer e aproveite essa idéia em potencial.

Um comentário:

  1. Caraca! Adorei esse filme!

    Desde que vi cenas que ele tinha ganho o Oscar fiquei interessada em ver. Mas só fui assistir muito tempo depois! Adorei as cenas, adorei os efeitos especiais! E ao contrário de algumas pessoas, eu adorei o final! Ah, e adoro espanhol também! Ao meu ver, o filme ser em espanhol deu um destaque maior ao ambiente de fantasia!

    Abração!

    ResponderExcluir

 
visitantes